Você Sabia?


Elas sobreviveram aos dinossauros, relatos da antiguidade já falavam sobre elas, daquelas que vivem no escuro. Durante grandes navegações chegavam a dominar navios inteiros, não se incomodaram com a guerra do vietnã e nem com a guerra do golfo, onde acreditamos que em caso de guerra nuclear provavelmente sobreviveram.

As baratas são insetos da ordem de Orthoptera, são parentes próximos, de gafanhotos, grilos e louva-deus, em todo o mundo existem cercas de 4.000 espécies de baratas, onde apenas algumas espécies ocupam o mesmo espaço que o homem, aqui no Brasil, as espécies mais comuns são a Bratella Germânica e Piliplaneta Americana.

Essas pragas urbanas trazem diversos prejuízos para os seres humanos, já foram encontrados a derivos ao seu corpo, os agentes causadores como colera, lepra, poliomelite, pneumonia, conjuntivites, gangrenas gasosas, infecções urinárias, infecções de pele, epatite B, toxicoplasmose, e muitas outras.

Além disso as baratas podem contaminar alimentos, danificar instalações, computadores e até mesmo obras de artes, imaginam o prejuízo que elas podem causar quando infestam uma indústria de alimentos, depósitos ou estabelecimento comercial.

Como todos os insetos, as baratas possuem um par de antenas que são seus orgãos sensoriais e olhos que detectam variação na luminosidade e movimento, seu corpo é protegido por uma camada externa chamada de exo-esqueleto que dá sustentação e provoca o famoso CREK quando pisamos nela.

Provida de um aparelho bucal raspador, as baratas se alimentam de líquidos ou sólidos, de origem vegetal ou animal, elas podem sobreviver ingerindo materiais de baixissímo valor nutritivo como ex. papel, sabão, cola, etc.

As baratas nascem a partir de um ovo, da qual já sai com aparência e um modo de vida semelhante a de um adulto, nesse estágio ela é chamada de ninfa. A barata mãe, carregará consigo os ovos até o momento da eclosão, ou seja os ovos estarão protegidos contra seus próprios predadores, os ovos são depósitados numa quantia de 16 a 50 chamados de ootecas. Dependendo das condições de alimentos, clima e abrigo elas demorarão de 53 a 215 dias para atingir a fase adulta, quando as condições de vidas, como exemplos áreas onde tem muito volume de alimentos, as ootecas eplodem no próprio local. Na fase adulta ela atinge até 100 e 200 dias, depois de adultas formaram casais para acasalar, sua ovulação ocorrem normalmente em fendas e rachaduras, onde passam 75% dos seus dias.

Elas vivem e reproduzem somente com a procura de ambientes onde tenham constantemente Água, Alimento e Abrigo, alguns dos locais mais comuns são depósitos, motores de bebedouros, caixas de inspeção, caixas de Luz, etc... Lembramos que esse mesmo insetos pode ficar em até 15 dias sem comer ou beber, por issso se tiver qualquer chance ela sobriverá, e é por esse e outros motivos a necessidade de um total CONTROLE e MANEJO amplo será eficaz no combate desta praga.

Inclui várias espécies, muitas das quais são transmissoras de doenças do homem e dos animais domésticos, enquanto outras são hospedeiras intermediárias de parasítas. No seu desenvolvimento apresentam duas fases distintas;

1º Fase Aquática : ovo, larva e Pulpa ( 10 / 12 dias de vida )

2º Fase Aérea ou Alada : Adulto ( 40 / 60 dias de vida )

Na fase aquática as fêmeas colocam os ovos em águas relativamente sem movimentação, colados uns aos outros num conjunto de 100 a 400 ovos denominado jangada. Estas jangadas são flutuantes. Após a eclosão dos ovos que ocorre de um a dois dias depois da postura, a jangada desorganiza-se rapidamente. As larvas apresentam um aspecto alongado e uniforme. A cabeça possui um par de olhos, antenas e peças bucais. O tórax apresenta um conjunto de cerdas. Alimentam-se de pequenos detritos orgânicos e também de microorganismos vegetais e animais. Durante este período as larvas passam por quatro estágios com características morfológicas idênticas, diferenciando apenas no tamanho. O tempo de duração desse estágio varia de 07 a 10 dias, dependendo das condições ambientas como a alimentação. A pupa tem a forma de uma vírgula e é bastante móvel, neste estágio ela não se alimenta. Da pupa emerge o inseto adulto e a quitina que reveste seu corpo em contato com o ar solidifica-se, assim o mosquito se torna apto a voar. Tanto o macho e a fêmea alimentam-se de seiva vegetal. Somente as fêmeas necessitam sugar o sangue para realizar a postura dos ovos. Depois de digerido o sangue obtido, a fêmea procurará uma coleção líquida onde depositará seus ovos. Em média uma única fêmea realiza 4 a 5 posturas durante sua vida. Esse inseto até tem uma capacidade de vôo de até 5 Km. Na África algumas espécies do gênero Culex são responsáveis pela transmissão da doença c Filariose Bancroftiana, conhecida popularmente po Elefentíase. No Brasil, os mosquitos do gênero Culex são considerados um grande incomodo.

Roedores, considerados por muitos séculos o grande inimigo dos homens, onde essa batalha numca foi vencida, sabemos ainda que comprovadamente existem muito mais roedores na terra do que seres humanos. Muitos tipos e espécies, todos competindo com o homem pelo fornecimento mundial de alimentos, consumindo em até 35% da lavouras muito antes da colheita.

Ratos e camundongos consomem e contaminam imensa quantidades de alimentos armazenados, e deste modo pode trasmitir doenças que afetam os homens e seus animais. Geralmente fazem seus ninhos em áreas de forros, terrenos, terras e até áreas elétricas, causando até incêndios, a razão mais importante para controlar os roedores urbanos são as doenças sérias transmissíveis, como a Peste, Tifo, Raiva, Salmonelose e a Leptospirose que a longo dos séculos mataram muitas vítimas.

Para muitos fazendeiros, as doenças veinculadas pelos roedores tem não somente afetados os lucros, e colocado o fim nos valiosos investimentos na produção, agricultura e criação de animais.

A perda de alimentos pela destruição e contaminação, é estimada em 33 milhões de toneladas de cereais estocados em mais de 1/5 dos produtos plantados. Entre as plantações afetadas cita-se: arroz e outros cereais, cana de açucar, amendoim, palmito, frutas e vegetais. Uma pequena colonia de ratos ( de 10 a 26 ratos ) em contato com uma tonelada de aveia ensacada por 12 a 28 semanas, contaminou 70% dos grãos e causou 4,4% de perda do peso.

Se reproduzem com muito intensidade, onde um roedor recém nascido atingirá puberdade em poucas semanas, teoricamente o casal pode gerar até 10.000 descendentes em 01 ano.